Nursing evidence-based interprofessional practice guidelines for altered sensory perception related to the risk of pressure ulcer in ICU – Systematic Literature Review

Angelica Gomes Correia, Isabel CF da Cruz

Abstract


Objective: To identify in the literature the complications caused by the patient with a nursing diagnosis: altered sensory perception, the importance of prevention for the risk of injury and the role of the nurse in the care of patients with altered sensory perception. Methods: This is a descriptive and qualitative research and the type of study used was bibliographical from existing material available in the Biblioteca Virtual em Saúde (BVS). Results: The results reveal 10 publications identified and analyzed by the thematic analysis technique, in which three categories of analysis emerged: Impacts caused to a patient diagnosed by nursing with altered sensory perception; Relationship between sensory perception and risk of injury in intensive care patients and the role of the nurse in the implementation of preventive measures to patients with altered sensory perception. Conclusion: Through this study, the diagnosis of altered sensory perception is directly related to the risk of pressure injury in critical patients in Intensive Care Units, due to the patient's cognitive limitations to the point of not being able to identify, identify or communicate any discomfort in relation to the body pressure exerted on the bed. Key words: sensory perception, nursing care, pressure ulcer and intensive therapy.

Keywords


sensory perception; nursing care; pressure ulcer; intensive therapy

Full Text:

HTML

References


Carpenito-Moyet LJ. Manual De Diagnósticos De Enfermagem [Internet]. 15o ed. Artmed; 2018 [citado 15 de setembro de 2018]. 852 p. Disponível em: https://www.saraiva.com.br/manual-de-diagnosticos-de-enfermagem-15-ed-2018-10084584.html

Herdman TH, Kamitsuru S. Diagnósticos de Enfermagem da NANDA-I [Internet]. 11o ed. Porto Alegre: Artmed; 2018 [citado 15 de setembro de 2018]. 488 p. Disponível em: http://nascecme.com.br/2014/wp-content/uploads/2018/08/NANDA-I-2018_2020.pdf

Associação Brasileira de Estomaterapia. Classificação das Lesões por Pressão - Consenso NPUAP 2016 - Adaptada culturalmente para o Brasil [Internet]. Sobest - Associação Brasileira de Estomaterapia. 2016 [citado 8 de outubro de 2018]. Disponível em: http://www.sobest.org.br/textod/35

Gil AC. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 5o ed. São Paulo: Atlas; 2010. 200 p.

Ministério da Saúde. Nível de Evidência Científica por Tipo de Estudo [Internet]. 2013 [citado 2 de outubro de 2018]. Disponível em: http://portal2.saude.gov.br/rebrats/visao/estudo/recomendacao.pdf

Gomes FSL, Bastos MAR, Matozinhos FP, Temponi HR, Velásquez-Meléndez G. Avaliação de risco para úlcera por pressão em pacientes críticos. Revista da Escola de Enfermagem da USP. abril de 2011;45(2):313–8.

Silva EW do NL, Araújo RA de, Oliveira EC de, Falcão VTFL. Aplicabilidade do protocolo de prevenção de úlcera de pressão em unidade de terapia intensiva. Revista Brasileira de Terapia Intensiva. junho de 2010;22(2):175–85.

Araújo TM de, Araújo MFM de, Caetano JÁ, Galvão MTG, Damasceno MMC. Diagnósticos de enfermagem para pacientes em risco de desenvolver úlcera por pressão. Revista Brasileira de Enfermagem. agosto de 2011;64(4):671–6.

Zambonato BP, Beghetto MG. ASSOCIAÇÃO DAS SUB-ESCALAS DE BRADEN COM O RISCO DO DESENVOLVIMENTO DE ÚLCERA POR PRESSÃOa. 2013;34(1):21–8.

Caldini LN, Silva RA, Melo GAA, Fernandes Pereira FG, Frota NM, Caetano JÁ. Intervenções e resultados de enfermagem para risco de lesão por pressão em pacientes críticos. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste. 9 de novembro de 2017;18(5):598–605.

Cabral V de H, Andrade ÍRC, Melo EM, Cavalcante T de MC. Prevalência de diagnósticos de enfermagem em unidade de terapia intensiva. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste. 21 de fevereiro de 2017;18(1):84–90.

Simão CMF, Caliri MHL, Santos CB dos. Concordância entre enfermeiros quanto ao risco dos pacientes para úlcera por pressão. Acta Paulista de Enfermagem. 2013;26(1):30–5.

Rogenski NMB, Kurcgant P. Avaliação da concordância na aplicação da Escala de Braden interobservadores. Acta Paulista de Enfermagem. 2012;25(1):24–8.

Alves A, Borges J, Brito M. Avaliação do risco para úlcera por pressão em unidades de terapia intensiva: uma revisão integrativa. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online. 1o de abril de 2014;6(2):793–804.






JSNCARE
Share |