Boletim NEPAE-NESEN

Vídeo aula sobre o ensino da técnica de meditação para controle do stress para clientes com Hipertensão arterial Sistêmica: Um relato de experiência.

 Video lesson as teaching a meditation techinique for stress control for patients with systemic arterial hypertension:an experience report.

 Davel,Amanda Zanata,Acadêmica do 8° período do Curso de Graduação e Licenciatura em Enfermagem da Universidade Federal Fluminense

Cruz, Isabel, Professora Titular do Curso de Enfermagem e Licenciatura da Universidade Federal Fluminense

 

RESUMO

Este artigo trata de um relato de experiência sobre uma vídeo aula desenvolvida para clientes portadores de hipertensão arterial sistêmica. Tem-se com o objetivo, o ensino de uma técnica de meditação para controle do stress para clientes portadores de HAS.A proposta da disciplina Prática e Pesquisa em ensino III, do Curso de Graduação e Licenciatura em Enfermagem da Universidade Federal Fluminense, foi desenvolvida uma vídeoaula para auxiliar e ajudar o cliente no controle do seu stress. Descritores: Enfermagem; Autocuidado; Hipertensão;Meditação;Stress.

 

ABSTRACT.

This article is an experience report about a video lesson developed for clients with hypertension. It has been aimed,the teaching of a meditation techinique for stress control of patients with HAS. The proposed discipline Practice and Research in Education III for Undergraduate Degree in Nursing in Universidade Federal Fluminense was developed a video lesson to assist and help the patient to control for in himself a natural way his stress.

 

Keywords: Nursing; selfcare; Hypertension; Meditation; Stress

 Introdução

A Hipertensão Arterial Sistêmica é a mais freqüente das doenças cardiovasculares. É também o principal fator de risco para as complicações mais comuns como acidente vascular cerebral e infartoagudo do miocárdio, além da doença renal crônica termina. Por ser na maior parte do seu curso assintomática, seu diagnóstico e tratamento é freqüentemente negligenciado, somando-se a isso a baixa adesão, por parte do paciente, ao tratamento prescrito. Estes são os principais fatores que determinam um controle muito baixo da HAS aos níveis considerados normais em todo o mundo, a despeito dos diversos protocolos e recomendações existentes e maior acesso a medicamentos.¹

Modificações de estilo de vida são de fundamental importância no processo terapêutico e na prevenção da hipertensão. Alimentação adequada, sobretudo quanto ao consumo de sal, controle dopeso, prática de atividade física, tabagismo e uso excessivo de álcool são fatores de risco que devem ser adequadamente abordados e controlados, sem o que, mesmo doses progressivas de medicamentos não resultarão alcançar os níveis recomendados de pressão arterial.¹A hipertensão arterial, ainda que não tenha causa única, resultando da interação de inúmeros fatores, tem entre eles o estresse crônico. Num estudo longitudinal pessoas com níveis normais de pressão arterial foram avaliadas quanto a sua propensão à ansiedade e seguidas por 18 a 20 anos, observando-se que aquelas com alto nível de ansiedade tiveram um risco duas vezes maior de desenvolverem hipertensão arterial.A hipertensão arterial pode favorecer a hipertrofia do ventrículo esquerdo, além de facilitar a ocorrência de fissuras nas paredes internas das artérias, especialmente em suas bifurcações, contribuindo para a ocorrência de outros processos patológicos.²

Já falando da teoria do autocuidado,a teoria de Dorothéa Orem publicada em 1985, descreve, que as pessoas desejam e podem se tornar aptas ao seu autocuidado, podendo os profissionais de Enfermagem assumir esta tarefa quando não estão em condições de fazê-lo. A atuação do enfermeiro mediante a compreensão de que o ser humano deve ser visto em três requisitos de autocuidado (universais, desenvolvimentais e nos desvios da saúde), cuja interação enfermeiro-pessoa é fundamental para o estabelecimento e  alcance de metas de saúde, propiciando o desenvolvimento de potencialidades no cliente, pessoa e comunidade.³

A teoria do autocuidado de Orem engloba o autocuidado, a atividade de autocuidado e a exigência terapêutica de autocuidado. O autocuidado é a prática de atividades iniciadas e executadas pelos indivíduos em seu próprio benefício para a manutenção da vida e do bem-estar. A atividade de autocuidado constitui uma habilidade para engajar-se em autocuidado. A exigência terapêutica de autocuidado constitui a totalidade de ações de autocuidado, através do uso de métodos válidos e conjuntos relacionados de operações e ações. ³

. A meditação, caracterizada como o treino da atenção plena à consciência do momento presente, tem sido associada a um maior bem-estar físico, mental e emocional. 4

Mais recentemente, a meditação tem sido bastante pesquisada e empregada na linha da psicologia cognitivo-comportamental. Além de influenciar mudanças comportamentais, como a redução do estresse e ansiedade.

De acordo com a literatura científica, a prática meditativa pode ser divida em duas formas principais:

a) concentrativa - quando há o treino da atenção sobre um único foco, como a respiração, a contagem sincronizada à respiração, um mantra ou algum som,entre outros; sempre que houver uma distração, o praticante deve simplesmente retornar sua atenção ao

foco; b) mindfulness - caracterizada pela consciência da experiência do momento presente, com uma atitude de aceitação, em que nenhum tipo de elaboração ou

julgamento é utilizado. À medida que estímulos internos ou externos atingem a consciência do praticante, este simplesmente os observa e, assim como surgiram, deixa-os sumir, sem qualquer reflexão ou ruminação.

Os efeitos da meditação sentada e silenciosa vêm sendo amplamente investigados em diversos contextos, dos o campo da saúde mental e física é um dos principais. Quanto à cognição, por exemplo, estudos têm apontado que a prática meditativa pode influenciar positivamente alguns estilos de pensamento e sistemas cognitivos. Foi observado que

o treino da meditação pode auxiliar na redução depensamentos distrativos e ruminativos.,além de propiciar um estilo cognitivo de maior aceitação (Bishop et al., 2004; Easterlin & Cardeña, 1998).Ademais, a própria meditação pode constituir-se comouma estratégia de coping adaptativa, uma vez que se mostrou mais eficaz para o controle e redução de afetos negativos induzidos, em comparação à ruminação e à distração.Este padrão também foi evidenciado em uma pesquisa qualitativa, a qual detectou que os

trabalhadores que participaram de uma intervenção com meditação para gerenciamento de estresse no trabalho relataram estratégias de coping mais positivas, como a percepção de maior autoeficácia e menor responsividade ao estresse. 4

 

Metodologia

Este estudo foi construído com base em um relato de experiência vivenciado por uma acadêmica de enfermagem do 8º período. Este estudo foi construído por base de graduação da Universidade Federal Fluminense durante disciplina de Pesquisa e Prática de Ensino III no período de setembro a dezembro de 2013.  Para a realização desse estudo, foi realizada uma pesquisa retrospectiva, de caráter qualitativa, descritiva bibliográfica.A realização da coleta de dados foi durante o período letivo através de busca de artigos científicos em base de dados, teses e livros.Ao decorrer da disciplina, que foi realizada online tendo apenas três encontros presenciais,a professora articulava com nós, alunos, através de uma plataforma virtual de Ensino.Lá, continham inúmeras atividades no qual tínhamos que acompanhar e obter base para a realização da Video-aula. Aprendemos sobre o conceito de Andragogia, onde fizemos um comparativo AndragogiaxPedagogia ;conhecemos a Taxonomia de BLOOM, e sobre o que são os objetivos de aprendizagem.Tivemos acesso a uma gama de artigos teses vídeo aulas para que realizássemos atividades em relação ao conteúdo.Esses conteúdos e conceitos foram todos direcionados a clientes portadores de Hipertensão Arterial Sistêmica, para nós alunos aprendermos a lidar com a condição do cliente ser hipertenso e assim poder construir bases para realizar orientações de autocuidado a esse cliente.

O temas da vídeo-aula, que abordavam orientações para o autocuidado do cliente com HAS, foram escolhidos na plataforma virtual de Ensino,entre os acadêmicos de Enfermagem. O tema em questão foi da prática de meditação para controle do stress pelos clientes portadores de HAS.

Logo, o tema da vídeo aula foi voltada para todos que queriam aprender uma técnica de meditação para o controle do stress, porém, com enfoque nos clientes hipertensos, uma vez que sabemos que para o desenvolvimento da Hipertensão arterial Sistêmica não existe somente um fator causador, e sim uma combinação de fatores, e o stress é um dos fatores modificáveis e o que o cliente pode, se empoderando de uma técnica de autocuidado, modificar essa situação e controlar o seu stress no dia-a-dia.

 

Resultado e discurssão

Esses ambientes virtuais de aprendizagem são estabelecidos como sistema de ensino e aprendizagem integrados e abrangentes, capazes de promover o engajamento do aluno5. Os ambiente virtuaistem como intuito assegurar um processo continuado de aprendizagem através de trocas, incentivado por um trabalho cooperativo entre sujeitos de diferentes saberes. A interação e a cooperação possibilitaram ao aluno ter uma tomada de decisão na construção da sua aprendizagem, apurando as informações e atribuindo-lhes significados. 6

Com isso, o aluno desenvolve a aprendizagem e como também, aprender com colegas e professores de forma colaborativa e assumindo um papel de agente ativo dessa aprendizagem. O professor é visto como o coordenador processo de ensino aprendizagem, assumindo um papel de facilitador, abandonando o papel de informador. 7

No primeiro encontro presencial, fomos apresentados a professora, onde ela explicou como seria o nosso desenvolvimento na plataforma virtual de Ensino.Foi realizado o cadastro dos alunos e explicado que cada semana teria textos e atividades a serem desenvolvidas virtualmente, e que deveriam ser encaminhadas até a professora através do portal de aprendizagem.

No segundo encontro presencial foi para a apresentação de duas atividades desenvolvidas virtualmente. A primeira atividade foi elaborar um plano de cuidado a um cliente Hipertenso.Para isso, colhemos dados de clientes hipertensos em unidades de saúde de atenção Básica,na qual, nós acadêmicos realizamos o estágio curricular do 8º período. Assim, traçamos um perfil desse cliente hipertenso e também elaboramos um plano de cuidados.O projeto foi apresentado através de uma plataforma que não conhecíamos,a plataforma prezi.Em sala de aula, o projeto foi apresentado e aberto para a discussão entre os colegas de turma e a professora, que questionou pontos importantes quanto a elaboração do plano de ensino e cuidados para o cliente com hipertensão.Apesar das dificuldades e anseios que essa atividade gerou em nós, alunos, a professora se mostrou muito solicita em esclarecer todas as dúvidas e mostrar como nós tínhamos que agira para conseguir um objetivo diante daquele pacientes: uma mudança de comportamento para a realização de seu autocuidado. Visto isso,foi realizada a seguinte questão principal para a realização do plano da vídeo-aula:O que você deseja que seu cliente faça para manter a sua  P.A. nos níveis de 120x80?

O terceiro encontro foi realizada as apresentações das vídeo-aulas produzidas pelos acadêmicos e feito o encerramento da disciplina em seu âmbito presencial.

 

Processo e realização da vídeo-aula

 

Primeiramente, realizamos o plano dessa vídeo-aula.O plano foi de extrema importância pois é através dele que realizamos um roteiro guiado de todas as atividades que iríamos mostrar durante aula.O plano de aula foi separado em 3 momentos:Introdução(como iríamos introduzir o assunto ao auno),desevolvimento(qual técnica de ensino iria ser utilizada, o que o aluno iria precisar como instrumento para realizar a técnica de auto-cuidado) e síntese(como iríamos encerrar a video-aula) tudo isso foi pensando em um cliente de baixa escolaridade e de baixa renda.Também através do plano de aula identificamos como ele iria nos mostrar o que ele aprendeu através da vídeo-aula, como uma forma de avaliação.Ensinar algo a alguém não envolve somente a simples transmissão de uma informação, é necessário que você obtenha uma resposta de seu aluno, afim de avaliar se seu ensino foi compreendido ou não.No demais,nada adianta se você não questioná-lo em relação ao que ele aprendeu, irá ser perda de tempo tanto pra quem ensina quanto para quem aprende, e assim ele não desenvolverá a habilidade de se autocuidar.

 

A busca de artigos científicos e de vídeos na web  abordando o tema foi essencial para a montagem de um roteiro para a gravação da videoaula.Busquei artigos científicos com um recorte temporal que compreendesse os anos de 2008 a 2013, com os seguintes descritores: Hipertensão e stress, fisiologia do stress, meditação e stress e hipertensão e meditação.O tema visava passar aos clientes portadores de HAS uma técnica de controle de stress. Escolhi uma técnica de fácil acessibilidade e de alcance de todos, que foi a de meditação em um minuto.A elaboração do roteiro me guiou para que a aula acontecesse durante o tempo o seu tempo estimado (7 minutos), que foi o tempo programado pela professora.Assim, elaborei um texto de aproximadamente sete minutos e gravei utilizando o recurso que disponha, o de gravador de voz do meu celular.após isso, realizei a gravação de mim mesma utilizando uma câmera demonstrando como seria a técnica da meditação em um minuto.

Assim, busquei montar o vídeo da seguinte forma: selecionei figuras no buscador Google que se relacionasse com o tema, e sincronizei com a gravação de voz. No momento certo da narração, introduzi o vídeo com a técnica da meditação. O vídeo começa perguntando ao usuário se ele já se sentiu estressado e como ele se sente quando está nesse estado, mostrando também como seus sintomas para que ele possa identificar se está stressado ou não, e efeitos maléficos dos stress para a saúde.

No desenvolvimento, apresentei a técnica da meditação em um minuto e tudo que ele precisaria para realiza - lá. Fui guiando essa técnica passo a passo até o seu desenvolvimento. Procurei esclarecer algumas dúvidas e mitos em relação a prática da meditação e convidei o cliente a praticar a técnica  durante um minuto junto comigo.

Finalizei o vídeo mostrando os benefícios da meditação para a saúde em geral, e convidando o cliente a incorporar a meditação como prática do seu dia-a-dia e mudar o seu comportamento. Como avaliação, pediria ao cliente para realizar a técnica, conforme ensinado no vídeo e esclareceria eventuais dúvidas.

A vídeoaula foi submetida e publicadono site youtube.com para uma avaliação da docente responsável pela disciplina e apresentação aos colegas de turma durante o último encontro presencial da turma de PPE III.

No último encontro foi avaliado a vídeo aula em sala e com todos os outros alunos que fazem a disciplina, foram feitos comentários técnicos em sala e o foco do comentário foi abordar o não foco ao autocuidado principal, porém a vídeo aula foi de uma maneira clara e demonstrativa. O vídeo está disponível no site do youtube através deste link: No último encontro foi avaliado a vídeo aula em sala e com todos os outros alunos que fazem a disciplina, foram feitos comentários técnicos em sala e o foco do comentário foi abordar o não foco ao autocuidado principal, porém a vídeo aula foi de uma maneira clara e demonstrativa. O vídeo está disponível no site do youtube através deste link: http://www.youtube.com/watch?v=A52mBr5ALlI.

   

Conclusão:

 

A disciplina proporcionou a nós alunos uma maneira única e diferente de ensinar. Nunca durante a faculdade tinha tido contato com uma matéria online. Isso proporcionou uma maneira diferente do professor a se relacionar com nós alunos, onde ele não fez o simples papel de transmissão de informação. Nós alunos também debatíamos no fórum virtual e aprendíamos uns com os outros. A plataforma virtual também nos forçou a buscar conhecimento de uma maneira diferenciada,fomos atrás do nosso conhecimento.Outro ponto positvo foi ter ajudado a nós alunos, a desenvolver melhor a escrita e aprender novas maneiras de ensino ao paciente,com o objetivo de mudança comportamental.

 

Apesar da dificuldade de familiarização com a plataforma de ensino no início, onde tive muitas dificuldades para entender e me relacionar com o site, este é de grande valia como maneira de se transmitir um conteúdo.Foi interessante e um desafio realizar uma matéria onde não temos o professor ali lado a lado.

Referências Bibliográficas

 

1.              BRASIL, Hipertensão Arterial Sistêmica; Ministério da Saúde. 2006. Disponível em:www.saúde.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.cfm?idtxt=23616. Acesso em 20 Novembro 2013

2.              Zuardi,Atonio Waldo.Fisiologia do stress e sua influência na saúde,Disponível      em:http://rnp.fmrp.usp.br/~psicmed/doc/Fisiologia%20do%20estresse.pdf

3     Nogueira,Maria Izabel dos Santos.A teoria do autocuidado e sua aplicabilidade para a           enfermagem no programa saúde da família.(PSF) Disponível em:  http://www.convibra.com.br/upload/paper/2012/70/2012_70_4028.pdf

4    Menezes,Carolina Baptista Por que meditar? A experinência subjetiva da prática de  meditação .Psicologia em Estudo, Maringá, v. 14, n. 3, p. 565-573, jul./set. 2009

 

5        Tarouco LMR. Plataformas para suporte a educação a distância. Revista Informática para a Educação: teoria e prática, Porto Alegre (RS) 2001 dez;4(2):7-13.

6        Mehlecke QTC, Tarouco LMR. Ambientes de suporte para educação a distância: a mediação para a aprendizagem colaborativa. Porto Alegra (RS). Disponível emErro! A referência de hiperlink não é válida.. Acesso em 22nov 2013.

      7     Tarouco LMR. Ambiente virtual de aprendizagem. Porto Alegre (RS). Disponível em URL:http://penta2.ufrgs.br/edu/ambvirt/ambvirt2t/sld013.htm. Acesso em 23 nov 2013.

 

 

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


BNN - ISSN 1676-4893 

Boletim do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre as Atividades de Enfermagem (NEPAE)e do Núcleo de Estudos sobre Saúde e Etnia Negra (NESEN).