Boletim NEPAE-NESEN

Construção de videoaula para a prática regular de exercícios físicos: relato de experiência[*]

Construction of videoaula for regular physical exercise practice: experience report

Construcción de videoaula para práctica regular de ejercicios físicos: relato de experiencia

Rafael da Silva Soares

Isabel Cruz - Titular/UFF.

 

Resumo: Indivíduos hipertensos devem realizar exercícios físicos de forma regular, pois além de diminuir a pressão arterial, tais exercícios podem reduzir consideravelmente o risco de doença arterial coronária, de acidentes vasculares cerebrais e a mortalidade geral, facilitando ainda o controle do peso. Cabe aos profissionais de saúde orientar e incentivar os sujeitos hipertensos quanto à prática regular de exercícios físicos, sobretudo no tocante aos parâmetros de frequência, duração, intensidade e modo de realização. O objetivo deste artigo é relatar a experiência de um acadêmico do curso de graduação em enfermagem e licenciatura durante a elaboração do projeto e gravação de uma videoaula cujo escopo é incentivar a prática de exercícios físicos regulares para indivíduos portadores de hipertensão. Todo o processo de elaboração desta videoaula evidenciou a importância do enfermeiro buscar novos métodos de ensino específicos para que os sujeitos portadores de hipertensão sejam capazes de ter sua qualidade de vida aprimorada.

Descritores: hipertensão; exercício; educação em saúde; educação à distância.

 

Abstract: Hypertensive patients should perform physical exercises regularly, as well as lower blood pressure, such exercises can considerably reduce the risk of coronary artery disease, stroke and overall mortality, even facilitating weight control. It is for health professionals to guide and encourage hypertensive subjects concerning regular physical exercise, particularly with regard to the parameters of frequency, duration, intensity and embodiment. The objective of this paper is to report the experience of an academic nursing degree during project preparation and recording of a videoaula whose purpose is to encourage regular physical exercise for individuals with hypertension. The whole process of preparing this videoaula highlighted the importance of nurses seek new teaching methods specific to the subjects with hypertension are able to have their quality of life improved.

Descriptors: hypertension; exercise; health education; education, distance.

 

Resumen: Los individuos hipertensos deben realizar ejercicios físicos con regularidad, mas allá de reducir la presión arterial, estos ejercicios también pueden reducir considerablemente el riesgo de enfermedad arterial coronaria, accidente cerebrovascular y la mortalidad general, incluso facilitando el control de peso. Los profesionales de la salud deben orientar y alentar a los hipertensos en relación con el ejercicio físico regular, sobre todo en lo que respecta a los parámetros de frecuencia, la duración, la intensidad y la encarnación. El objetivo de este trabajo es reportar la experiencia de académico de enfermería durante la preparación del proyecto y la grabación de un videoaula cuyo propósito es fomentar el ejercicio físico regular para las personas con hipertensión. Todo el proceso de elaboración de este videoaula destacó la importancia de los enfermeros buscaren nuevos métodos de enseñanza específicos para que los sujetos con hipertensión sean capaces de tener su calidad de vida optimizada.

Descriptores: hipertensión; ejercicio; educación en salud; educación a distancia.

 

Introdução  

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA)(1). A HAS é definida como PA sistólica maior ou igual a 140 mmHg e uma PA diastólica maior ou igual a 90 mmHg, em indivíduos que não estão fazendo uso de medicação anti-hipertensiva(2).

A HAS possui natureza multicausal e seus principais fatores de risco são classificados como modificáveis (estilo de vida, tabagismo, alimentação inadequada), também se associando diretamente com a obesidade e o sobrepeso(3).

Assim sendo, o estilo de vida propicia o desenvolvimento ou manutenção de fatores que afetam a saúde do indivíduo, aumentam a morbidade ou morte prematura, e incrementam o índice de mortalidade(4).

Devido à amplitude dos fatores que desencadeiam a HAS, o desenvolvimento e a implementação de estratégias de intervenção, sobretudo as de educação em saúde, envolvem uma ótica ampla, na qual devem ser considerados aspectos individuais e coletivos(5).

O enfermeiro deve exerce papel importante dentro do contexto da HAS, participando desde programas de detecção precoce até o desenvolvimento de estratégias para garantir adesão ao tratamento. Isto tem levado a um maior esforço no desenvolvimento de estudos, enfocando a educação e orientação do cliente como parte integrante do cuidado de Enfermagem(5).

O processo educativo é uma ação política e social, cujos métodos e técnicas devem favorecer a desalienação, a transformação e a emancipação dos sujeitos envolvidos(6). Educação em saúde requer maior aproximação entre educador e clientela a ser educada(7).

Os indivíduos portadores de HAS devem ser orientados quanto à manutenção ou mudança de estilo de vida, promoção dos exercícios físicos, perda de peso, restrição do consumo de sódio, álcool e cigarro, de modo a alcançar melhor controle de sua PA e promover qualidade de vida(4).

A terapia pelos exercícios físicos é uma das principais recomendações clínicas para a abordagem das doenças cardiovasculares, trazendo também benefícios em vários de seus fatores de risco, como HAS, dislipidemia, insulino-resistência, obesidade e inflamação. Na hipertensão, em particular, o contribuição da terapêutica não farmacológica é essencial para a diminuição da morbimortalidade cardiovascular(8).

O baixo custo, a natureza não farmacológica e os benefícios psicossociais de uma vida menos sedentária aumentam ainda mais o apelo dessa terapêutica(3). Além disso, o exercício aeróbico é virtualmente desprovido de efeitos secundários(8).

Em resumo, atualmente, recomenda-se a prescrição de exercício no tratamento da hipertensão, sobretudo na forma de treino cardiovascular, 20-60 minutos, 3-5 dias por semana, numa intensidade correspondente a 40-70% da capacidade aeróbica máxima. Os gostos e preferências individuais devem ser levados em consideração, uma vez que maximizam a adesão de longo termo(8).

A disciplina de Pesquisa e Prática de Ensino III (PPE III), do curso de Graduação e Licenciatura em Enfermagem da Universidade Federal Fluminense, possui articulação no Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre as Atividades de Enfermagem (NEPAE) – Educação em Saúde Online (ESO). A proposta principal da disciplina é de capacitar o aluno de enfermagem em educação, desenvolver habilidades tecnológicas visando uma a inovação do processo ensino-aprendizagem.

O objetivo deste relato é descrever a experiência de um acadêmico de Enfermagem no processo de elaboração de uma videoaula que incentiva a prática de exercícios físicos regulares na rotina de sujeitos hipertensos.  

 

Métodos  

Trata-se de um relato de experiência de um acadêmico do curso de graduação em Enfermagem e Licenciatura da Universidade Federal Fluminense (UFF), na  disciplina de PPE III, durante o segundo semestre de 2013.

No percurso da disciplina, desenvolveram-se várias atividades, tanto nos encontros presenciais, quanto através da plataforma Moodle, nosso ambiente virtual de aprendizagem (AVA) no NEPAE – ESO. A proposta principal da disciplina é a construção de uma videoaula com duração de 7 minutos. Para tanto, foi necessário o aprofundamento de nossos conhecimentos em andragogia, formas de ensino ao paciente, taxonomia de Bloom, elaboração de objetivos de aprendizagem, construção de plano de aula, planejamento e técnicas de ensino.

Para garantir melhor aproveitamento da disciplina, o AVA disponibiliza fóruns de discussão, nos quais os alunos e o tutor poderiam trocar idéias, facilitando a aprendizagem, no entanto, esse espaço foi pouco ou mal utilizado.

As videoaulas de 7 minutos, cujo objetivo principal é o ensino de uma habilidade de autocuidado dirigida ao sujeito hipertenso, deveriam ser produzidas com base em temas disponibilizados no AVA, a escolha de cada acadêmico. Neste caso, o tema elegido foi “Qual o melhor exercício para controlar minha pressão?”.

Para a construção da videoaula foi elaborado um plano de aula, o qual continha tema, público-alvo, objetivo, avaliação, conteúdo, material, introdução, estratégia de ensino e avaliação, além das referências utilizadas na pesquisa. Após avaliação, crítica e sugestões ofertadas pelos licenciandos e tutor ao plano de aula, seguiu-se para a elaboração do vídeo propriamente dito.

No processo de gravação do vídeo, foram utilizadas duas câmeras digitais (gentilmente cedidas por Rebecca Ferreira, acadêmica de Enfermagem da UFF e Jéssika Santos, acadêmica de Arquivologia da UFF). Participaram como entrevistados o enfermeiro Fernando Rodrigues e o educador físico Jadir Júnior, ambos profissionais da Clínica da Família Anna Nery (CFAN). Também foram realizadas imagens de exercícios físicos praticados pelos usuários da CFAN, além do depoimento da Sra. Neide Lindolfo, contudo essas gravações não foram utilizadas porque os arquivos foram corrompidos.

No procedimento de edição da videoaula, foram utilizados os softwares Windows Movie Maker e Any Video Converter. Ao final da edição o vídeo foi publicado no site YouTube, podendo ser acessado pelo seguinte link: <http://www.youtube.com/watch?v=cDC_eYrJNaE&feature=youtu.be> .

Resultados e Discussão  

A disciplina de PPE III foi ofertada no segundo semestre letivo de 2013 em sua maior parte no AVA do NEPAE – ESO, e em três encontros presenciais na Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa (EEAAC).

O AVA permite integrar múltiplas mídias, linguagens e recursos, apresentar informações de maneira organizada, desenvolver interações entre pessoas e objetos de conhecimento e elaborar e socializar produções, tendo em vista atingir determinados objetivos(9).

O principal papel do AVA é servir de repositório de conteúdos e meio de interação/comunicação entre os sujeitos envolvidos no processo de ensino-aprendizagem. Há diferentes formas de apresentação de suas ferramentas, com funções específicas e maneiras de distintas de interação com os usuários(10).

Nessa perspectiva interativa, o professor pode converter-se em formulador de problemas, provocador de interrogações, coordenador de equipes de trabalho, sistematizador de experiências, e memória viva de uma educação que valoriza e possibilita o diálogo e a colaboração(11).

O primeiro dia da disciplina foi marcado por um encontro presencial entre os alunos e a professora responsável pela disciplina. O AVA foi apresentado, também foram explicadas as atividades a serem cumpridas de acordo com as datas propostas na plataforma, e ainda foi ressaltada a importância da presença regular nesse ambiente, com o objetivo de estar sempre ativo no processo de ensino-aprendizagem.

O segundo encontro presencial ocorreu no dia 10/10/2013, o seminário para a apresentação do plano de aula. Houve muitas dúvidas sobre a estruturação desse plano, apesar dos vários conteúdos disponibilizados na plataforma e de todo processo de aprendizagem construído. Alguns planos foram expostos a partir do software Prezi. Após as exibições, foram apresentadas críticas e sugestões pelos alunos, sobretudo pela professora que muito contribuíram para o esclarecimento e compreensão dos objetivos propostos pela disciplina. Também foi pactuada participação mais efetiva pelos alunos no AVA, especialmente nos fóruns de discussão.

O terceiro e último encontro na EEAAC aconteceu em 09/12/2013, com o objetivo de apresentar os produtos finais dos alunos, as videoaulas de 7 minutos. Apesar do prazo de quase dois meses entre a apresentação do plano de aula e a postagem do vídeo no Youtube, a quase totalidade das videoaulas foram postadas na véspera e último dia pactuado no AVA. O festival de videoaulas teve alguns problemas audiovisuais no início, contudo foram sanados, e as apresentações puderam transcorrer sem impedimentos. Ao final de cada videoaula, o acadêmico explicou como seria feita a avaliação daquela habilidade de autocuidado e a professora realizou comentários a respeito do conteúdo do vídeo.

A elaboração da videoaula se deu a partir da montagem do plano de aula, o qual serviu como roteiro de gravação. O conteúdo deveria ser exposto numa linguagem simples e de fácil entendimento, e o mais importante, demonstrar uma habilidade de autocuidado. O tempo designado para a videoaula seria de 7 minutos.

         O tema do vídeo é “Qual o melhor exercício para controlar minha pressão?”. Iniciou-se com esse questionamento. Logo em seguida, foram exibidas as entrevistas ao educador físico Jadir Júnior e enfermeiro Fernando Rodrigues. O propósito foi de chamar a atenção dos espectadores ao tema, mostrando a importância e benefícios da prática de exercícios físicos para o controle da PA e melhoria da qualidade de vida.

Após as entrevistas, foi enfatizada a necessidade da prática regular de exercícios físicos (ao menos 3 vezes na semana, durante 20 minutos) e apresentadas algumas atividades que poderiam ser realizadas pelo público-alvo (caminhada, corrida, natação, ciclismo, hidroginástica, dança). Depois das demonstrações, foi focalizada a prática da caminhada, sendo trazidos à tona a maneira e vestuário adequados a essa atividade. Por mais uma vez se incentivou a prática regular, além de consultas e avaliações com os profissionais de saúde.

         O processo de edição do vídeo no software Windows Movie Maker ocorreu sem dificuldades ou empecilhos. Na parte das demonstrações de exercícios físicos, foram adicionadas imagens colhidas de outros vídeos na internet. Esses trechos tiveram o áudio substituído por uma trilha sonora obtida pelo software Any Video Converter.

Infelizmente, perderam-se arquivos importantes, os quais foram corrompidos. Essas gravações perdidas foram práticas de exercícios físicos realizadas por usuários da CFAN, sob a supervisão do educador físico Jadir Júnior, e o depoimento da Sra. Neide Lindolfo, 66 anos.

A videoaula foi submetida à avaliação da docente responsável pela disciplina e apresentada aos colegas de turma durante o último encontro presencial da turma de PPE III, também foi publicada no site Youtoube para exposição pública. Segue o link da videoaula: <http://www.youtube.com/watch?v=cDC_eYrJNaE&feature=youtu.be>.

 

Conclusão  

         A disciplina de PPE III propôs um desafio no quesito da educação em saúde ao indivíduo hipertenso. Apesar de parecer uma tarefa simples demonstrar uma habilidade de autocuidado em 7 minutos, foi necessária uma boa carga teórica e muitas orientações e correções para realizá-la do melhor modo possível.

As dificuldades encontradas no decorrer da disciplina, tais como familiarização com o AVA, co-responsabilização na construção do conhecimento, alcance dos objetivos propostos, e principalmente a elaboração da videoaula, fez com que esta disciplina se tornasse realmente desafiadora.

 Referências

 1 Sociedade Brasileira de Hipertensão. VI Diretrizes Brasileira de Hipertensão. Arq Bras Cardiol 2010 Supl 1; 95: 1-68.

 

2 Brasil. Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica: hipertensão arterial sistêmica. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

 

3 Reis SM, Ferreira VRF, Prado FL, Lopes AMC. Análise da resposta pressórica mediante exercício físico regular em indivíduos normotensos, hipertensos e hipertensos-diabéticos. Rev Bras Cardiol 2012; 25 (4): 290-298.

 

4 Reza CG, Nogueira MS. O estilo de vida de pacientes hipertensos de um programa de exercício aeróbio: estudo na cidade de Toluca, México. Esc Anna Nery Rev Enferm 2008; 12 (2): 265-270.

 

5 Chaves ES, Lúcio IML, Araújo TL, Damasceno MMC. Eficácia de programas de educação para adultos portadores de hipertensão arterial. Rev Bras Enferm 2006; 59 (4): 543-547.

 

6 Moura DJM, Bezerra STF, Moreira TMM, Fialho AVM. Cuidado de enfermagem ao cliente com hipertensão: uma revisão bibliográfica. Rev Bras Enferm 2011; 64 (4): 759-765.

 

7 Bezerra STF, Coelho MMF, Silva LF, Freitas MC, Guedes MVC. Ações de enfermagem identificadas no projeto Cipesc® e encontradas na prática educativa de pacientes hipertensos. Online Braz J Nurs 2006; 5 (2).

 

8 Ruivo JA, Alcântara P. Hipertensão arterial e exercício físico. Rev Port Cardiol 2012; 31 (2): 151-158.

 

9 Prado C, Casteli CPM, Lopes TO, Kobayashi RM, Peres HHC, Leite MMJ. Espaço virtual de um grupo de pesquisa: o olhar dos tutores. Rev Esc Enferm USP 2012; 46 (1): 246-251.

 

10 Seixas CA, Mendes IAC, Godoy S, Mazzo A, Trevizan MA, Martins JCA. Ambiente virtual de aprendizagem: estruturação de roteiro para curso online. Rev Bras Enferm 2012; 65 (4): 660-666.

 

11 Camacho ACLF. Análise das publicações nacionais sobre educação à distância na enfermagem. Rev Bras Enferm 2009; 62 (4): 588-593.



[*] Disciplina de Pesquisa e Prática de Ensino III. 2º semestre letivo de 2013.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


BNN - ISSN 1676-4893 

Boletim do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre as Atividades de Enfermagem (NEPAE)e do Núcleo de Estudos sobre Saúde e Etnia Negra (NESEN).